ALUNOS SÃO DESTAQUE EM OLIMPÍADA

    Alunos das terceiras séries do Ensino Médio dos Colégios Vicentinos estão participando da 1ª Olimpíada Brasileira de Cartografia. Das 604 equipes inscritas, apenas 200 foram classificadas para a segunda etapa e, entre elas, estão as equipes dos Colégios Santo Antônio de Lisboa e São Vicente de Paulo – Penha, ambos de São Paulo-SP e do Colégio Francisco Telles, de Jundiaí-SP. As equipes são formadas por grupos de quatro alunos, sob a orientação de um professor. Nos colégios de São Paulo, a orientação das equipes ficou sob a responsabilidade da professora Fernanda Mangabeira Fialho e do professor Gustavo Cruz Fernandes.

    Na primeira etapa, as equipes dos três colégios tiveram ótimo desempenho, pois todas obtiveram pontuação acima de 90. O destaque ficou para os alunos do Colégio Francisco Telles, que alcançaram a pontuação de 104 e ficaram na 7ª colocação na classificação geral.

    Na segunda etapa, os alunos foram desafiados a desenvolver um instrumento cartográfico e um mapa que representasse o colégio.

Equipe do Colégio Francisco Telles,
formada pelo aluno Pedro Afonso Alves de Oliveira e as alunas Naira Biagini Maltoni, Beatriz Cecato Dumalakas e Beatriz do Prado Rodrigues, sob a orientação do professor André Luiz da Conceição, construíram um clinômetro ou inclinômetro para calcular o grau de inclinação das ruas do centro de Jundiaí-SP, região de localização do colégio.

    Na sequência, a equipe desenvolveu uma oficina de construção do clinômetro com os alunos do 8º ano do próprio colégio, com o apoio do professor Erick Aurélio da Silva.

    Por fim, os alunos elaboram um mapa com os graus de inclinação das ruas próximas ao colégio e inseriram alguns marcos históricos importantes localizados no centro do município de Jundiaí, como a Igreja Matriz e o Museu Solar do Barão.

    O resultado desta segunda etapa sairá nos próximos dias e seguimos na torcida pelas equipes participantes. A terceira etapa ocorrerá no Rio de Janeiro, em agosto, com a participação das três melhores colocações. Boa sorte a todos!

Figura 1: Equipe do Francisco Telles.

Figura 2: Processo de construção do Clinômetro.

Figura 3: Clinômetro pronto.

Figura 4: Oficina de construção do clinômetro com alunos do 8º ano.

Figura 5: Alunos do 8º ano que participaram da oficina de construção do clinômetro.

Figura 6: Aplicação do clinômetro nas ruas próximas ao colégio.

Figura 7: Processo de construção do Mapa.

Figura 8: Mapa pronto.

 Equipe do Colégio São Vicente de Paulo - Penha, formada pela aluna Ana Paula de Oliveira Veiga Fagundes e pelos alunos André Luiz Teixeira Locateli, Eduardo Balardini Abrantes Filho e Isaac Bastos Penha Moreira, sob a orientação da professora Fernanda Mangabeira Fialho Velloso, mapearam o entorno do colégio, dando destaque para as cotas altimétricas do bairro da Penha e a importância das mesmas para a escolha da construção das três igrejas próximas ao colégio. 

Esse processo investigativo da história do bairro contribuiu significativamente para o aprendizado dos alunos que descobriram, por exemplo, que uma das igrejas mapeadas, contrariando as outras, não tem sua entrada voltada para a Sé devido ao seu contexto histórico, pois foi assim construída pelos escravos como forma de protesto

A fim de confirmar as declividades do bairro, a equipe desenvolveu um instrumento para medir a inclinação do terreno que denominaram de "nível de artesanal", pois utilizaram basicamente ripas de madeira, fitas métricas e uma mangueira. Basicamente a declividade é determinada, partindo-se do ponto de maior declive, onde é colocada uma das barras na posição vertical e deslocando-se a outra barra no sentido do declive. A diferença de leitura entre as fitas graduadas das barras corresponde ao espaçamento vertical entre os dois pontos. A seguir procede-se com o cálculo da declividade.

Figura1 - Equipe do colégio São Vicente de Paulo - Penha.

Figura 2 - Desenvolvimento do mapa

      Equipe do Colégio Santo Antônio de Lisboa, formada pelo aluno Leonardo Falango Bellingeri e as alunas Celine Avelino de Castilho, Isabelle dos Reis Stella e Luana sob a orientação dos professores Gustavo Cruz Fernandes  Fernanda Mangabeira Fialho.
       Inicialmente, a equipe elaborou um Inclinômetro (também conhecido como clinômetro) que é um instrumento utilizado para medir
ângulos de inclinação e elevação. Os alunos chamaram o instrumento de Miketa.
    
Na sequência, a equipe desenvolveu um mapa da zona leste de São Paulo e para sua confecção foi necessário pesquisar os dados da renda média da subprefeitura da Mooca a qual o Colégio Santo Antônio de Lisboa faz parte.
    A ideia do mapa da zona leste de São Paulo era mostrar a discrepância existente entre distritos de uma mesma região. Foi realizada uma ampliação para destacar a subprefeitura da Mooca, e revelar as contradições de renda média da população dessa região.
 

Figura 1. Clinômetro pronto

Figura 2. Mapa Pronto




O resultado desta segunda etapa saiu nos últimos dias e, infelizmente as equipes dos Colégios Vicentinos não foram classificadas para a terceira e última etapa da competição. De qualquer forma agradecemos todos pela brilhante participação e envolvimento ao longo da Olimpíada.